31.03.2020

SecMulher-PE atenta às mulheres negras e os cuidados com a Falciforme e o Covid-19

O Governo de Pernambuco vem tomando medidas importantíssimas para controlar a situação da pandemia no estado de maneira inclusiva para todas as pessoas. A Secretaria Estadual da Mulher (SecMulher-PE) está atenta à população negra, sabendo que a grande maioria tornasse mais vulnerável devido às baixas condições econômicas. 
"A mulher negra vive em condição de vulnerabilidade em função do racismo e pela dificuldade de acesso ao sistema de saúde, e por também ser mais vulnerável a doenças de base, como: diabetes, hipertensão e doença falciforme" explica a técnica da Coordenação Estadual da Saúde da População Negra de Pernambuco, Gerusa Guerra.
Em Pernambuco, mais de 2 mil pessoas têm diagnóstico de doença falciforme. A enfermidade reduz o sistema imunológico e isso faz com que as pessoas com falciforme estejam no grupo de risco com maiores probabilidades de desenvolverem a forma mais grave da COVID-19, podendo exigir admissão hospitalar. 
"Devemos conscientizar que a doença falciforme está relacionada à população negra (parda e preta), fazendo com que essas pessoas enfrentem a violência racial e de gênero. A mulher que é acometida deve ter os cuidados redobrados, e por isso, estamos alertando a todas e todos para ficar em casa, dificultando a circulação e a contaminação pelo coronavírus", explica a coordenadora de Atenção à Saúde da População Negra da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), Miranete Arruda.
Em Pernambuco, o Hemope, no Recife é a unidade de referência para doença falciforme. No serviço, a paciente realiza os exames especializados e é acompanhada por uma equipe multiprofissional. 
Uma reportagem feita no The New York Times chama a atenção para o risco do extermínio em decorrência do Covid-19 de populações negras, latinas, e as mais pobres, em razão da ausência de um atendimento adequado pelo nosso sistema. O genocídio da população negra pode tomar contornos dramáticos, por isso é essencial que sejam tomadas as devidas providências para frear o coronavírus.
 
Estudo sobre a Doença Falciforme do Ministério da saúde recomenda, enquanto durar a epidemia: 
 
• Evitar estritamente o contato com alguém que esteja apresentando sintomas de COVID-19 tais como febre e/ou tosse recente e contínua. 
• Não sair de casa. 
• Não participar de nenhuma reunião (incluindo reuniões de amigos e famílias em espaços privados, como casas, casamentos e cultos religiosos). 
• Não fazer compras, lazer nem viagens. 
• Entregas de alimentos ou medicamentos devem ser deixadas na porta para minimizar o contato. 
• Manter contato com outras pessoas usando telefone, internet e mídia social. 
• As visitas e assistência médicas devem continuar conforme a necessidade, porem deve-se evitar manter contato com cuidadores e/ou profissionais de saúde que apresentarem algum dos sintomas da COVID-19. 
• Todas as pessoas que adentram a casa devem lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos e frequentemente enquanto estiverem lá.