20.10.2020

SecMulher-PE e Comissão Permanente de Mulheres Rurais avaliam balanço de ações

Nessa quarta-feira (21-10), às 14 horas, a Secretaria da Mulher Pernambuco (SecMulher-PE) promoverá, por videoconferência, a 4ª Reunião Ordinária da Comissão Permanente de Mulheres Rurais de Pernambuco - CPMR-PE. A atividade contará com saudação da secretária da Mulher de Pernambuco, Silvia Cordeiro, e moderação de Vani Souza, representante do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). 
Entre os temas a serem debatidos na reunião estão: os balanços da Campanha Violência Contra a Mulher Não Dá Frutos e do Processo de Instalação dos Kits de Irrigação no Sertão do São Francisco. Este último, contou com a parceria da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos de Pernambuco (Seinfra).
A gerente de Articulação e Interiorização da SecMulher-PE, Márcia Aguiar, explica que   as questões em pauta são políticas públicas estratégicas e, por isso, devem ser acompanhadas pelas representantes da CPMR-PE, permitindo a socialização para outras mulheres vinculadas aos movimentos que integram a CPMR-PE. “Ou seja, uma oportunidade de trocas de conhecimentos e experiências, levando-se em consideração a participação plena e efetiva das mulheres nos contextos da educação, dos cuidados com a saúde, alimentação saudável, acesso à terra, ao crédito, da assistência técnica”, completa.
A reunião contará com representantes dos 15 movimentos sociais: Articulação das Pescadoras de Pernambuco - APP; APOINME; CPT; FETAPE; FETRAF-PE; MMTR-PE; MPA; MLST; MST; Rede Convergir Mulher; Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú; Rede de Mulheres da Fruticultura Irrigada; Rede de Mulheres Indígenas; Rede de Mulheres Mandiocultoras; Rede de Mulheres Quilombolas, e das setoriais sob a coordenação da SecMulher-PE; SDA (IPA, ITERPE, ProRural e ADAGRO); SEMAS; SECTI e SEINFRA.
A Comissão Permanente de Mulheres Rurais de Pernambuco segue com o compromisso de defender os direitos das mulheres rurais por meio da articulação e do controle social das ações públicas e privadas, e da promoção da igualdade de gênero, com recorte de raça, classe, geração e orientação sexual, contribuindo para a autonomia da população feminina rural.