Notícias da ATI

Notícia publicada em 09/10/2017 às 16:08

Ata de Registro de Preço de TI promete uma economia de mais de R$3,6 milhões na Educação em um ano

/image/journal/article?img_id=9378642&t=1507576259791

A Ata de Registro de Preço (ARP) que estabelece um modelo de processo de gestão de serviços de TI para as unidades de administração pública do Governo do Estado de Pernambuco, elaborada pela Secretaria de Administração (SAD), através da Agência Estadual de Tecnologia da Informação (ATI-PE), promete proporcionar uma economia de mais de R$3,6 milhões na contratação de serviços de TIC da Secretaria de Educação, em um ano. “E tem mais. Além da economia proporcionada aos cofres públicos, vai aumentar o número de equipamentos atendidos. A cobertura passa de 25 mil para 45 mil equipamentos. Pois a redução unitária será na ordem de 56% em relação ao valor do contrato anterior”, garante o diretor de Governança da ATI, Ivanildo Guerra. O contrato entra em vigor a partir de 1º de novembro.

 A ARP é um instrumento legal de licitação que permite a realização de contratação corporativa com as demandas de vários órgãos pelo mesmo produto ou serviço, isto proporciona uma grande economia de escala para o Governo do Estado.  “Outros órgãos do Estado poderão aderir à contratação e a expectativa de redução dos custos atuais é ainda maior, por exemplo, o contrato da sede da ATI terá uma redução na ordem de 70%, além de contar com uma série de benefícios em qualidade, pois a nova especificação dos serviços foi definida segundo as melhores práticas mundiais na prestação de serviços de TI”, informa o presidente da ATI, Romero Guimarães.

 O presente modelo de contratação, além de ser fruto de pesquisa das mais modernas metodologias, traz a inovação de expandir a volumetria para todo o estado ao invés de fixá-la por órgão. "É como se o Estado de Pernambuco fosse um único contratante de uma central unificada de atendimento. Isso amplia o ganho de escala natural de uma Ata de Registro de Preços, pois os cálculos de volumetria não são proporcionais, ou seja, quanto maior o volume, menor será o custo por órgão", disse Pedro Ciríaco, gerente do Núcleo de Políticas Corporativas da ATI.

 Central de Serviços Única – Na Central de Serviços Única - CeSU serão concentrados os atendimentos de informática de todo o Poder Executivo. Na prática, quando o usuário de qualquer órgão ou entidade tiver um problema no computador (hardware/software), na impressora, ou mesmo uma dúvida sobre funcionamento de algum recurso de TI, bastará entrar em contato com a CeSU por telefone, e-mail, ou sistema web, para iniciar o suporte de 1º Nível. Caso o problema não seja resolvido, o chamado poderá ser encaminhado para o 2º Nível que inclui a visita de um técnico especialista, existindo também a possibilidade de troca de peças que apresentarem defeito nos equipamentos.

 Tudo isto coberto por prazos de atendimento e de solução do problema e de acordo as melhores práticas de gerenciamento de serviços de TI, preconizadas pela biblioteca ITIL (Information Technology Infrastructure Library). “A Central poderá ainda encaminhar o chamado para a equipe de informática do próprio órgão, ou para um fornecedor terceirizado, de modo que o usuário tenha sempre um ponto único de contato, não tendo que ligar para números diferentes, independentemente do tipo de atendimento desejado", explica o analista de TIC da ATI, Daniel Silvestre.